Eu como amante de Macrofotografia não poderia deixar de postar essa notícia. As fotos elétricas são magníficas, o sujeito tem toda minha consideração, um verdadeiro artista. Fonte dos dados: BBC Brasil.

Depois de dedicar 20 anos de sua carreira à fotografia de paisagens, o americano Robert Buelteman descobriu uma nova maneira de registrar a natureza: utilizar eletricidade para iluminar folhas e flores, em uma técnica que dispensa o uso da câmera e de lentes.

O fotógrafo utiliza instrumentos cirúrgicos para posicionar as plantas sobre uma mesa transparente, e em seguida posiciona uma matriz metálica, na qual estão o filme e uma emulsão fotográfica. O conjunto é, então, ligado a uma fonte elétrica.

Em um quarto escuro, ele então aciona a eletricidade de altíssima voltagem, que pode vir de fontes como o tungstênio, o xenônio ou fibras ópticas.

“Esta técnica tem mais semelhanças com a tradicional pintura japonesa a nanquim do que com as atuais formas de fotografia”, diz Buelteman. “Cada entrada de luz, assim como cada pincelada na pintura, não foi ensaiada. E uma vez, liberada, não pode ser desfeita.”

090727074458_floresgirassolNa série ‘Through the Green Fuse’ (‘Através do fusível verde’), o americano Robert Buelteman utiliza eletricidade para iluminar folhas e flores (Fotos: Robert Buelteman©2009).

090727074511_florespurpleA técnica dispensa o uso de câmeras e lentes. Tudo é registrado diretamente sobre um filme fotográfico em um quarto escuro, com uma matriz composta por chapas metálicas.

090727074503_floresmaconhaBueltemand seleciona cada objeto pessoalmente, como este ramo de maconha, e utiliza instrumentos cirúrgicos para posicioná-lo sobre a mesa fotográfica, respeitando sua opacidade e suas formas.

090727074442_floresanturioA iluminação é feita com uma fonte de alta voltagem, que pode ser de tungstênio, xenônio ou com fibras ópticas, o que permite um maior controle sobre a exposição do objeto à luz.

090727074445_florescortaderiaBuelteman diz que a ideia veio após a perda de quatro familiares, vítimas de câncer, e que sua intenção com as fotos é registrar ‘a beleza e a fragilidade da vida’.

090727074519_floresstrelitziaO fotógrafo compara seu método com a pintura japonesa. ‘Cada entrada de luz sobre a foto é como uma pincelada: não é ensaiada e não pode ser desfeita’, diz.

090727074515_floresrussianoakA técnica de iluminação de objetos usada por Buelteman é também conhecida como fotografia Kirlian, em homenagem ao cientista russo que a desenvolveu, ou ainda como bioeletrografia.

090727074523_floreswhiteA série conta com 80 imagens realizadas ao longo de dez anos; elas podem ser vistas no site de Buelteman ou no livro ‘Signs of Life’ (‘Sinais de Vida’), lançado nos Estados Unidos.

Anúncios