alicescliar

Hoje mais um dia com minha nova rotina matinal, cheguei em casa as 13h e fui almoçar. Para continuar minha rotina semanal, eu capoto na cama e começo a ler até umas 14h. Nesse tempo, ela veio… A exaqueca indesejada aparece para fazer tudo latejar, enfraquecer até deixar a vista embassada e outras coisas não muito agradáveis.

Então estava até pensando em não postar hoje, porém após uma “brecha” parei aqui na frente do pc para ver algumas notícias. Foi aí que vi no Twitter meu primo dizendo que era dia do psicólogo e acabei indo parar no site da revista mente e cérebro. Queria postar algo sobre isso, mas vasculhando, quase desistindo, encontrei um artigo com o título: “Enxaqueca como fonte de inspiração”.

Comecei a ler o artigo e vi que pessoas como Miguel de Cervantes (autor de Dom Quixote de La Mancha), Virginia Woolf (autora de Orlando e As Ondas) e inclusive Sigmund Freud (fundador da psicanálise) sofriam com a enxaqueca também.

Continuando a ler, vi que nenhum desses casos acima foi tão conhecido quanto o de Charles Lutwidge Dodgson, conhecido como Lewis Carroll (autor de Alice no País das Maravilhas).  O livro da Alice no País das Maravilhas e Alice no País dos Espelhos foram feitos inspirados pelo estado que antecede ao ataque da enxaqueca, que geralmente tem efeitos visuais alucinatórios, figuras,  linhas móveis… Geralmente Lewis Carrol escrevia em seu diário suas alucinações visuais seguidas pelas dores de cabeça. Não é à toa que aparece um gato sorridente que vira apenas num sorriso ou o tamanho alternado de Alice.

Anúncios