O instituto Wellcome Trust está expondo novas fotos e ilustrações de sua biblioteca de imagens científicas. Foram premiadas as 19 melhores imagens por sua contribuição para o entendimento da ciência e pela “inspiração” que provocam.

Nas fotos são usadas técnicas muito avançadas de fotografia microscópica, podendo se ver detalhes de vasos capilares, células, até sementes e um óvulo sendo fecundado.

As imagens selecionadas permanecerão em exposição até o ano que vem, explicando as histórias por trás das fotografias. Especialistas acreditam que as fotos são um grande instrumento para explicar a ciência, permitindo a visualização de um conceito que parece abstrato. (BBC)

imagemcienciaEsta micrografia mostra detalhes de uma semente da flor Estrelítzia (Strelitzia reginae), também conhecida como ave do paraíso. A planta tropical é original da África do Sul, mas também é bastante comum no Brasil. Ela dá uma flor alaranjada e roxa, que lembra uma ave exótica.

imagemciencia2Esta foto mostra co-polímeros, usados para transportar medicamentos dentro do corpo humano, permitindo controlar o tempo em que a substância é liberada.

imagemciencia3 Aqui se vê a reconstrução das vilosidades do intestino delgado de camundongos. Elas aumentam a superfície do intestino para ajudar na digestão.

imagemciencia4 Nesta foto é possível ver um óvulo humano no momento em que espermatozoides tentam fecundá-lo. A foto foi tirada durante um tratamento de inseminação artificial.

imagemciencia5 Essa foto mostra células da bolha de uma queimadura na pele. A queimadura foi causada por sopa quente derramada sobre a mão.

imagemciencia6Esta ilustração mostra um coração mecânico ligado a tubos e válvulas de instrumentos musicais. O coração foi, originalmente, desenhado a lápis e colorido por computador. As válvulas foram criadas a partir de fotos de instrumentos de metal, como trompetes, e foram coladas digitalmente.

imagemciencia7Esta foto mostra uma única célula de câncer de pulmão. A área roxa mostra protuberâncias na membrana de plasma da célula, causadas pela separação desta membrana do citoesqueleto. Essas protuberâncias têm importante papel em uma série de processos celulares.

imagemciencia8Esta imagem mostra cristais de aspirina. O analgésico é amplamente usado para aliviar dores e como anti-inflamatório. Ele também é conhecido por suas propriedades anti-coagulantes, impedindo que as plaquetas formem coágulos e ‘afinando’ o sangue.

Anúncios