O “Homem do Dia” de hoje foi indicação de Ronildo Garcia.

Jason Becker nasceu no dia 22 de julho de 1969 nos Estados Unidos. Ele é um guitarrista neo-clássico e compositor. O pai de Becker, que havia estudado violão erudito, lhe deu uma guitarra quando tinha 3 anos e inclusive deu aulas. Jason tocava músicas do Bob Dylan, Eric Clapton, Jeff Beck e Eddie Van Halen, entre outros. Com 16 anos, Becker conheceu Marty Friedman (ex-guitarrista do Megadeth), o qual se tornaram amigos e criaram a banda Cacophony em que gravaram dois álbuns: Speed Metal Symphony em 1987 e Go Off! em 1988 (nesse mesmo ano ele lançou um álbum solo:   Perpetual Burn.)

Aos 20 anos, Becker se juntou a banda de David Lee Roth, substituindo Steve Vai que foi tocar com Whitesnake. Durante a gravação de A Little Ain’t Enough em 1989, Becker disse que sentia, “lazy limp” (coxeadura preguiçosa??) em sua perna esquerda. Logo foi diagnosticado com ALS — esclerose lateral amiotrófica (uma doença degenerativa e incapacitante) e lhe deram três a cinco anos de vida. Embora tenha conseguido terminar o álbum, que foi lançado em 1991, ele não pode participar da turnê devido a sua incapacidade para desempenhar no palco.

Devido a sua doença, Jason acabou perdendo a capacidade de falar e agora se comunica com os olhos através de um sistema desenvolvido pelo pai dele. Embora sua doença roubou-lhe gradativamente a sua capacidade de tocar guitarra, andar e até mesmo para falar, ele continua afiado mentalmente, com o auxílio de um computador, continua compondo. Na parte de trás da capa do CD Perspective (lançado em 1996), Becker afirma “Eu tenho Esclerose Lateral Amiotrófica. Tenho meu corpo e minha fala aleijada, mas não a minha mente.” Seu estado de saúde manteve-se estável desde 1997. Em 2003, Jason postou em seu site que estava se sentindo melhor e tinha ganhado algum peso. Para obter mais informações, acesse: JasonBeckerGuitar.com

Confira abaixo a música Altitudes do álbum Perpetual Burn.

Anúncios