Pesquisar

Laize Kasmirski

Um espaço para a cultura da minha mente

Categoria

Fotografia

Concurso americano premia Imagens Científicas

A primeira foto abaixo foi a grande vencedora de um concurso anual promovido pela revista Science e pela Fundação Nacional da Ciência, dos Estados Unidos, para premiar imagens científicas.

O concurso também premiou concorrentes nas categorias gráficos e pôsteres de informação, games interativos e mídia não interativa.

Os premiados foram anunciados na última edição da revista Science, publicada pela Associação Americana para o Avanço da Ciência. (BBC)

Esta foto, que mostra nanofibras plásticas com um diâmetro de 1/500 de um fio de cabelo ao redor de uma minúscula esfera, foi a vencedora do concurso anual sobre visualização da ciência realizado pela revista ‘Science’ e pela Fundação Nacional da Ciência, dos EUA. (foto: ‘Save our Earth. Let’s go Green’, de Sung Hoon Kang, Joanna Aizenberg e Boaz Pokroy, Harvard University). Segundo um dos autores, o pesquisador Sung Hoon Kang, da Universidade Harvard, cada minúscula fibra pode representar uma pessoa. No conjunto, elas são capazes de sustentar a esfera (ou a Terra).

Esta foto, que recebeu menção honrosa, foi tirada por um cientista da Universidade de Wisconsin e mostra cristais comprimidos de um sal coletado no Vale da Morte, na Califórnia. Ao pingar água sobre os cristais, micróbios começaram a ganhar vida. As cores são produzidas pela luz que passa pelos cristais. (‘Microbe vs. Mineral’ (foto: Michael P. Zach, University of Wisconsin – Stevens Point). Uma imagem semelhante a flores coloridas formada por uma experiência com células e uma foto que mostra o processo de auto-fertilização de uma flor.

Esta imagem foi criada por acaso com o colapso de células sobrepostas a pilares de polímeros com 10 micrômetros de altura. Os cientistas estudavam as forças exercidas pelas células e foram surpreendidos pelo aparecimento das formas. A imagem recebeu menção honrosa. (‘Flower Power’ – foto: Russell Taylor, Briana K. Whitake e Briana L. Carstens, University of North Carolina)

Esta imagem, primeiro prêmio na categoria ilustração, mostra as forças exercidas por células pulmonares ao formar capilares. A imagem faz parte de um projeto para apresentar bases de dados grandes e complexas em novas formas. (‘Branching Morphogenesis’, ilustração: Peter Lloyd Jones, Andrew Lucia e Jenny E. Sabin, University of Pennsylvania’s Sabin + Jones Lab Studio). A imagem tridimensional faz parte de um projeto para apresentar dados científicos de maneiras novas e criativas.

A ideia dos autores desta imagem de um hambúrguer de água-viva era usar uma imagem absurda para advertir sobre os riscos da pesca excessiva e das mudanças climáticas sobre a fauna marinha. Com o aquecimento dos oceanos, as águas vivas se tornariam mais comuns. (‘Jellyfish Burger’, ilustração: David Beck, Clarkson University, e Jennifer Jacquet, University of British Columbia)

Apresentações de Fotojornalismo

Olá queridas pessoas! Estava a apreciar vídeos de fotografias e casualmente encontrei estas  apresentações (abaixo) de fotojornalismo.  Este curioso trabalho foi conduzido pelo Prof. Manoel Nascimento na Universidade Presbiteriana Mackenzie no ano passado (2009). Com aproximadamente 1 minuto, os acadêmicos demonstraram a essência de determinados fotógrafos. Vale a pena conferir!

Gal Oppido

Klaus Mitteldorf

Leopoldo Plentz

Chico Albuquerque

Claudia Andujar

Mário Cravo Neto

Pedro Martinelli

Sebastião Salgado

Juca Martins

Marcos Piffer

Bem, coloquei aqui somente 10 vídeos, ao total são 35, porém alguns fotógrafos se repetem. Para quem quiser assistir os outros vídeos, clique aqui. =)

Explêndido Saturno

Uma nova exposição chamada de “Visões de Saturno” tem início às do Observatório Real de Greenwich … (MailOnline)

Este mosaico de cores falsas marcantes de Saturno foi criado a partir de 25 imagens captadas pelo satélite Cassini em 24 de fevereiro de 2007, um milhão de milhas do planeta. © NASA / JPL / Space Science Insitute
Para obter mais informações, visite http://www.nmm.ac / cassini pt / e http://ciclops.org

Este olho de peixe foto de Titã foi tirada pelo tonalizador a bordo da sonda da Agência Espacial Europeia de Huygens, quando tinha apenas três quilômetros acima da superfície de Titã. Ela foi tirada em 14 de janeiro de 2005, pouco antes de um pouso bem-sucedido. © NASA/JPL/Space Science Insitute.

A torturada superfície gelada da lua de Saturno, Encélado . É um mosaico de imagens construídas entre os dias 9 e 14 de julho de 2005. Crateras antigas permanecem intactas em algumas áreas, mas têm claramente livres em outras, sugerindo que a lua ainda está ativa. © NASA/JPL/Space Science Insitute.

Este mosaico reúne 30 imagens – 10 de vermelho, verde e azul – como Cassini garimpou  sua câmera grande-angular de todo o planeta e sistema de anéis em 23 de julho de 2008. © NASA/JPL/Space Science Insitute.

O primeira visão rápida de alta resolução da lua de Saturno, Iapetu.  ©NASA/JPL/Space Science Insitute.

Esta imagem congelada é da lua de Saturno, Enceladus, foi tirada em 27 de novembro de 2005, com 92.000 quilômetros de distância. ©NASA/JPL/Space Science Insitute.

Um complexo convectivo de “tempestade dragão’ apareceu no hemisfério sul de Saturno em meados de Setembro de 2004. Esta imagem foi tirada com próxima luz infravermelho. © NASA/JPL/Space Science Insitute.

Conhecida como “listras de tigre ” esta imagem mostra o padrão distinto de contínuo, sulcadas, falhas paralelas. Ela foi tirada em 14 de julho de 2005, cerca de 12.880 milhas de Encelado. © NASA/JPL/Space Science Insitute
Para obter mais informações, visite http://www.nmm.ac/cassini pt/e http://ciclops.org

Engenheiro vovô é fera em fotografias

Fotoopa é um engenheiro mecatrônico aposentado, possui 41 anos de experiência e uma paixão por fotografia de altíssima velocidade. (Post de hoje foi recomendado pelo Nerd Escritor, matéria original em Gizmodo.)

Ele mesmo quem cria seu próprio equipamento com laser para registrar suas magníficas fotografias.

O equipamento dele inclui um obturador que ele mesmo fez — e que pode disparar em 5 milissegundos — inserido ao redor de um controlador Arduino e partes de alumínio customizadas.Possui lentes extras para procurar por insetos sem perder o foco, e um sistema de reflexão de lasers que o permite ir para qualquer lugar para tirar fotos.O equipamento funciona em luz ambiente ou na completa escuridão, e não precisa de nenhuma configuração, exceto ajustar a sensibilidade dos lasers, dependendo da iluminação ambiente. O equipamento não precisa de nenhum outro acessório.

De acordo com ele, o detector de faixa de foco funciona de 1mm a 700mm de distância da câmera, e o mecanismo de tirar fotos é capaz de detectar objetos voadores de 2 milímetros de diâmetro. Algo extremamente impressionante para algo feito em casa, e os resultados são tão bons quanto a tecnologia.

Para conferir mais fotos do Fotoopa, clique aqui.

Artista cria maquetes e registra magníficas fotografias

O artista americano Matthew Albanese, de Nova Jérsei, começou a criar suas maquetes de paisagens há dois anos (quando estava insatisfeito com seu trabalho). Ele conta que passa horas construindo as maquetes, usando materiais comuns como algodão, temperos de cozinha e massas de gesso e cimento, que depois “ganham vida” quando são fotografadas, graças à iluminação e ao ângulo da câmera.

O artista afirma que todas as maquetes fotografadas acabam destruídas, já que elas são feitas normalmente com materiais que não duram muito. “As maquetes, normalmente, são completamente diferentes ao vivo”, diz o artista, cujas paisagens, às vezes, são feitas em maquetes separadas, depois usadas para formar uma composição. Algumas delas também são destruídos no próprio processo de fotografia. (BBC)

Tornado feito de lã de aço, algodão, a salsa solo e musgo

Campos após a tempestade. Este modelo é simplesmente feito de peles artificiais (campos), algodão (nuvens) e reboco de azulejo peneirado (montanhas).

Esta foi a primeira paisagem criada por Albanese. “Um dia em casa, derramei um pouco de páprica e fiquei impressionado com a cor, que me lembrou Marte. Saí e comprei 5 quilos do tempero para criar minha ‘Marte de Páprica'”, conta ele.

Esta imagem parece a de um verdadeiro vulcão em erupção, mas na verdade, ele é feito de pasta de cimento, algodão e tinta à base de fósforo.

Aqui Albanese usou madeira, nylon, acrílico, comprou casa de bonecas mobiliada. O modelo realmente foi incendiado para atingir esse efeito.

Aurora Borealis.  Esta foto foi feita por uma fotografia de um feixe de luz colorida contra uma cortina preta para obter o efeito de borda. As árvores eram compostas de vida (até agora o único elemento da vida real, em qualquer destas imagens) As estrelas são simplesmente luz estroboscópica através dos furos na placa de cortiça.

Confiram mais imagens do grandioso artista clicando aqui, vale a pena conferir!

Fotógrafo cria retratos de cabeça para baixo

O americano Brandon Voges, 33 anos, com seu estilo de fazer fotografias experimentais, descobriu uma maneira nova de fazer retratos: colocando os sujeitos das fotos de cabeça para baixo e depois mostrando as imagens ao contrário. O resultado são faces com feições alteradas pela força da gravidade.

Brandon trabalha para um estúdio de publicidade em Saint Louis, no Estado do Missouri, e diz que a ideia, posta em prática no ano passado, foi uma evolução de uma série que havia feito alguns anos antes pessoas fotografadas com uma luz ultrarrápida enquanto chacoalhavam a cabeça. (BBC Brasil)

“Eu realmente gostei da ideia de fazer retratos os quais as pessoas pudessem olhar e não saber imediatamente o que havia de ‘errado’ com elas, somente que alguma coisa estava estranha. Algumas imagens são mais óbvias do que as outras”, diz Voges ao explicar seu projeto “Upside Down Face” (Rosto de Cabeça para Baixo).

Para recrutar as pessoas a participarem de seu experimento, Voges enviou mensagens por e-mail a amigos e colegas para explicar seu projeto e pedir voluntários. Com dezenas de respostas positivas, ele organizou uma grande festa regada a cerveja, durante a qual as fotos foram feitas.

A parte prática da sessão de fotos foi resolvida pendurando os sujeitos das fotos amarrados pelos pés em frente a uma tela.

Apesar de posar de cabeça para baixo, nenhum dos modelos teve ânsia de vômito. Uma pessoa bebeu cerveja pendurada.

Alguns modelos gostaram da experiência porque a gravidade acabou com o chamado ‘queixo duplo’ que aparece com pele flácida.

Segundo Voges, as pessoas se mostraram muito à vontade durante a sessão de fotos.“Algumas pessoas queriam ficar de cabeça pra baixo enquanto revisávamos as imagens”, conta. Ao final da sessão, ninguém ficou ferido nem passou mal. “Tomamos todas as precauções para fazer tudo da maneira mais segura possível”, diz ele.

Brandon Voges disse que a experiência foi divertida e que ele sempre procura formas interessantes de promover seu estúdio.

‘Upside Down’ foi evolução de série feita por Voges há alguns anos com pessoas clicadas com luz ultrarrápida ao balançar a cabeça.

Para conferir outros trabalhos do Brandon Voges, acesse: BrutonStroube.com

Fotos vencedoras do concurso BirdGuides Photo of the Year 2009

A foto vencedora do concurso Foto do Ano 2009 foi a de dois faisões brigando, de Richard Bedford. Esse concurso é promovido anualmente pela revista britânica BirdGuides. Ao total, foram enviadas 39.387 fotos  para participar da competição. A revista além da Foto do Ano seleciona a Foto da Semana.

“O vencedor e os finalistas da competição de 2009, estabeleceram padrões muito altos e demonstraram o que pode ser alcançado com paciência, habilidades e um entendimento do comportamento dos pássaros”, disse Max Whitby, diretor da revista. (BBC e BirdGuides)

A foto do Papagaio-do Mar voando logo após pescar, de Kevin du Rose, foi uma das finalistas da competição aberta pela revista britânica especializada BirdGuides.

A foto de Jim Wood, que mostra uma coruja-dos-banhados, também ficou entre as finalistas. Os juízes escolheram esta foto porque tem “tanta harmonia que você não quer olhar para o outro lado”.

A foto de Paul Hillion mostra uma colônia de gansos-patola voando próximo a Alderney. O azul profundo do mar e do céu foi elogiado pelos juízes.

A Petinha das Árvores foi capturada por Graham Catley em pleno voo. Ao todo, 39.367 fotos foram submetidas.

A foto vencedora, de Richard Bedford, capturou a ferocidade da briga entre dois faisões. O de baixo mantém os olhos fechados para se proteger de ferimentos.

Outra finalista, a foto de Mark Hancox mostra um penereiro do dorso malhado perseguindo uma coruja das torres. Os juízes escolheram a imagem porque ela conta uma história.Outra finalista, a foto de Mark Hancox mostra um penereiro do dorso malhado perseguindo uma coruja das torres. Os juízes escolheram a imagem porque ela conta uma história.

A foto da águia gritadeira, de Dileep Kumar, foi tirada no Catar. A tranquilidade do lago revela um momento de reflexão. A revista, normalmente, mostra aves encontradas na Grã-Bretanha.

A foto de John Betts mostra um faisão voando. Além da Foto do Ano, a revista publica a Foto da Semana, escolhida entre as imagens enviadas por leitores.

Últimas refeições pedidas por prisioneiros

O artista britânico James Reynolds, 23 anos, usou como tema de trabalho as últimas refeições pedidas por prisioneiros no corredor da morte nos Estados Unidos. Reynalds recriou e fotografou, após muito tempo de pesquisa sobre o assunto, cardápios pouco comuns solicitados pelos condenados. Assim surgiu a sua série Últimas Ceias, o artista estuda a possibilidade de reuni-las em um livro ou uma exposição. (BBC)

Nesta foto ele reproduz o cardápio de um homem condenado por estupro e assassinato no Texas (Fotos: James Reynolds).

Refeições de redes de fast-food, como esta do KFC, são as mais comuns.

Uma bandeja de frutas foi o último pedido de Louis Jones Jr, escutado por sequestro, estupro e assassinato em Indiana, em 2003. ‘As refeições contam algo sobre a personalidade do prisioneiro’, diz o artista.

Segundo Reynolds, cada refeição pode custar até US$ 40, mas alguns condenados fazem escolhas baratas, apesar de inusitadas. ‘Fiquei fascinado em saber por que eles pedem determinado cardápio’, afirma.

Nem sempre o pedido é por comida. Cigarros são tolerados, mas analgésicos são recusados. ‘Certa vez um prisioneiro quis um revólver, mas obviamente não conseguiu’, diz Reynolds.

“Fiquei fascinado em saber por que cada um escolheu determinada refeição. Acredito que os pedidos são um retrato do prisioneiro, algo que revela um pouco da personalidade dele”, disse Reynolds à BBC Brasil.

Duas caixas de sorvete de baunilha e várias casquinhas foram o desejo final de Lewis Gilbert, antes de ser executado por assassinato em Oklahoma, em 2003.

Outro condenado por assassinato, James Hudson, fez o estranho pedido por uma bolacha e seis garrafas de Coca-cola, na Virgínia, em 2004.

Victor Feguer, executado por assassinato em 1963 em Iowa, quis uma azeitona por achar que uma oliveira cresceria dentro dele. O trabalho de James Reynolds por enquanto pode ser visto em seu website (www.jwgreynolds.co.uk)

Vencedor do Concurso Vida Selvagem é desclassificado

A fotografia vencedora do prêmio Wildlife Photographer of the Year (2009), fotografia acima, foi desclassificada pois descobriram que este lobo pertencia a um zoológico e ainda por cima, tinha sido treinado.

Uma investigação havia sido iniciada em dezembro e o fotógrafo confirmou que esperou semanas para conseguir a foto perfeita, entre convencer um fazendeiro a deixar que um lobo selvagem entrasse em suas terras, atrair o lobo com um pedaço de carne e ganhar sua confiança para instalar o equipamento. Porém, a revista especializada em vida selvagem Suomen Luonto, publicada na Finlândia, afirmou que o lobo, se chama Ossian e vive em um zoológico perto de Madri.

Um especialista em lobos, citado pela revista, disse que o animal parece ter sido treinado para saltar sobre o portão, já que uma espécie selvagem muito provavelmente tentaria passar espremida por entre as barras.

Diante da desclassificação da foto de Rodríguez, os jurados do concurso não apontaram um novo vencedor para 2009.(BBC)